Uma BUGA abandonada

O Tiago Mendes pratica ciclismo. E é engenheiro. Para a primeira destas actividades, a bicicleta é indispensável. Para a segunda, também. As duas rodas fazem-lhe companhia diariamente. Para as viagens que faz em Aveiro, onde se desloca sobretudo entre a casa e o local de trabalho, não há meio de transporte que lhe ofereça melhores condições do que a bicicleta. Não será totalmente descabido afirmar que o Tiago ganha a vida a fazer contas, é engenheiro. Na bicicleta, encontrou o corolário para a poupança, quer de dinheiro, quer de tempo.

Como utilizador intensivo da bicicleta, o Tiago sempre teve uma ao seu dispor. Não montou em BUGAS muitas vezes, mas uma das experiências com a BUGA aconteceu “após uma festa no bar dos estudantes da Universidade de Aveiro”, quando deu de caras com uma abandonada numa ponte pedonal. “Já estávamos um pouco com os copos, uma das pessoas do grupo pegou na BUGA e acho que ela foi acabar a minha casa”.

O Tiago já não está a estudar, pelo que já não frequenta a Universidade de Aveiro com a regularidade de outros tempos. Mas, ainda assim, aponta que “um posto de depósito e partilha de BUGAS no Campus Universitário talvez fosse útil“.