Ele gosta dos dias de chuva

O Nuno Abreu trabalha em Aveiro e vive em Gaia. Desde há dois anos que todos os dias se desloca com a ajuda da sua bicicleta dobrável nos trajectos entre casa, as estações de comboio e o escritório na PT Inovação.

Não tem dúvidas que as duas rodas são o modo mais prático e económico de se movimentar. “Muitos colegas meus se juntam num carro para aproveitar a boleia e assim não dependo de ninguém”.

Nada o faz abdicar desta opção, nem a chuva mais torrencial. Quando chove limita-se a utilizar alguma protecção, incluindo calçado impermeável. Chega mesmo a gostar dos dias cinzentos.

“Quando chove, há menos pessoas com bicicletas no comboio”.

Já viu o comboio tão lotado de bicicletas que algumas pessoas tiveram de sair e esperar pelo próximo. A ele já quase lhe aconteceu o mesmo na estação de Aveiro.

De BUGA já andou “duas ou três vezes”. Vê nela uma maneira funcional para quem precisa de “tratar de vários assuntos” dentro da cidade, poupando tempo. Foi nesse contexto que a utilizou. Para o Nuno, Aveiro é uma cidade amiga dos ciclistas, “porque é plana”. Embora faltem mais ciclovias.

Apesar duns sustos no currículo que o fazem “estar muito atento à estrada” nos seus percursos, não está nos seus planos abandonar esta opção pela bicicleta para se deslocar no seu dia-a-dia.