A ideia de uma bicicleta low cost

O Luís Ricardo foi presidente da Associação Académica da UA entre 2006 e 2008 e já na altura andava de bicicleta. Começou a pedalar logo que chegou a Aveiro como estudante e percebeu que podia chegar a qualquer lado em menos tempo do que a pé.

“Como não tinha carta nem carro, a bicicleta era a solução mais rápida e a proporcionar melhor qualidade de vida”.

Ganhou verdadeira afeição às duas rodas e mesmo depois de lhe terem roubado duas bicicletas não desistiu. Tirando a pausa que faz nos dias de chuva, toda a sua mobilidade é feita de bicicleta.

“Do ponto de vista financeiro é óptimo, não se gasta tanto dinheiro e ainda faço exercício físico”.

Quando esteve na direcção da Associação Académica um dos seus interesses foi perceber qual a melhor forma de aproximar os alunos da Universidade à utilização da bicicleta.

“Os nossos alunos são os melhores veículos para criar hábitos e adoptam as melhores práticas que lhes forem apresentadas”.

Uma das ideias que teve e ainda mantém, é a promoção de um evento com os alunos do primeiro ano onde se mostre a facilidade de andar em cima de duas rodas na cidade e quais os benefícios. No fim, apresentar uma bicicleta low cost de marca portuguesa.

“Os produtores regionais de bicicletas criavam esse produto mais barato. Os que a usarem nessa altura serão potenciais consumidores dessas marcas mais tarde”.

Lembra-se perfeitamente do primeiro dia em que a BUGA foi posta na rua. Usou-a muitas vezes naquela altura em que não tinha a sua bicicleta por ter sido roubada. Tem em mente o caminho que a BUGA fez até hoje e acha que houve um desinvestimento no projecto.

“A BUGA é confortável e faz o que queremos, mas precisa de infra-estruturas físicas de suporte”.