O namorado da BUGA

Arquiteto de formação, José Quintão, é um funcionário da Câmara Municipal de Aveiro com uma história que se confunde com a da própria BUGA. A bicicleta que experimentou pela primeira vez numa voltinha junto ao Mercado do Peixe.
Uma estreia épica num protótipo de ferro cru, que só se podia travar pondo o pé na roda.
Seguiram-se ainda meses de trabalho para ele e para a equipa que trabalhou no projeto nessa altura. Foi preciso aperfeiçoar a BUGA até que fosse a BUGA. Torná-la mais estável e segura foi apenas um dos desafios. Para ele o nome e a cor ou suporte para a publicidade são como as mudanças e os pneus. Todas as peças da BUGA têm uma história com o devido enredo e personagens.
Quando a BUGA chegou às ruas de Aveiro foi obrigada por decreto a sobreviver numa cidade que a estranhou. Bicicletas nas ruas à espera de quem quisesse ir daqui para ali sem pagar por isso. Era uma visão insólita que proporcionou todo o tipo de experiências.
Foi nesses dias em que uma BUGA podia facilmente servir para 3 ciclistas, em simultâneo, perante o olhar impávido da maioria, que ele reforçou os seus laços com aquela bicicleta.
Um dia escreveu um texto em que falava da família da BUGA, cabendo a Aveiro o papel de mãe. Quando lhe perguntámos que lugar ocupava nessa família ofereceu-nos o título para esta história.
“Eu sou um namorado.
Sou um Don Juan. Sou um sedutor. O meu papel sempre foi tentar seduzir as pessoas para o projeto. Sempre me tirei da primeira linha para dar palco, para dar luz, a quem eu queria seduzir para apoiar o projeto. Por isso, sou um Don Juan, sou um namorado.”
É mesmo. Nem lhe faltam os tiques de um apaixonado ao falar dela. Olhos brilhantes, gestos exagerados, até suspiros.
Hoje namoram menos. Também ele tem a sua bicicleta e a maior parte dos percursos são feitos a pé. Porque, explica com precisão, Aveiro tem uma escala pedonal. O conforto de caminhar pelas ruas planas que contornam a Ria só poderia ser ultrapassado com bicicletas por toda a cidade à espera de quem as monte para pedalar por um par de ruas.
Como todos os namorados o José Quintão tem sonhos para o futuro que incluem a sua amante.