Já não é o que era

O César Pinho é dono da loja de bicicletas Perna Longa, em Aveiro. O gosto por bicicletas e alguma tendência para o negócio ditaram o seu caminho no ramo desportivo há já muitos anos.

É aos fins-de-semana que o lazer se proporciona e aí, as duas rodas fazem parte do cenário. Não utiliza a bicicleta como meio de transporte, porque não lhe dá jeito.“Muitas vezes tenho de sair de Aveiro em trabalho”.

A maioria das bicicletas que vende são para a prática de desporto. Para o César, ainda não há uma cultura da bicicleta que justifique a sua utilização diária. Além do mais, Aveiro não tem condições para que isso possa acontecer.

“Não há condições de trânsito, nem ciclovias decentes. As ciclovias acabam do nada, não têm continuidade”.

Experimentou a BUGA logo no início, quando foi lançada. Hoje, não se sentiria confortável se tivesse que andar numa, pois acha que estão muito degradadas.

“Têm muitas falhas e não têm grandes condições de segurança”.

O objectivo inicial da sua utilização era a mobilidade e não é usada dessa forma. Para o César, o problema está na gratuitidade da BUGA.

“Quando é gratuito, as pessoas estragam”.