Uma bicicleta que é um braço direito

A Aurora Reis utiliza a bicicleta todos os dias. Trabalha de “hora a hora” e só assim tem a agilidade para vencer as ruas e ruelas de Aveiro. “Chegamos, tanto a casa, como ao trabalho, num instante. Não temos de esperar por transportes e ainda se poupa algum dinheiro”.

Tem uma bicicleta que é quase uma extensão do seu corpo. “Às vezes sinto-me aflita, com dores nos ossos, e a bicicleta faz-me bem. É a minha terapia. É um braço direito”.

Já andou de BUGA, e achou-as “afinadinhas”. “Encontrei uma abandonada e guardei-a. Depois passou um funcionário em minha casa para a levar. No princípio andavam ai com uma carrinha para apanhar as BUGAs. Se calhar havia pessoas a roubar as bicicletas”.

A Aurora repara que, especialmente quando está bom tempo, muitos turistas aproveitam as BUGAS para passear por Aveiro. “Isso quer dizer que as BUGAS fazem falta e dão muito jeito, tanto a turistas como a aveirenses. Mas eu tive de comprar uma bicicleta. Hoje, ela é o meu braço direito”.