E se para tirar a carta de condução tivesse de andar de bicicleta?

A trabalhar na divisão de Mobilidade e Transportes da Câmara Municipal de Aveiro, Arminda Soares, conhece bem as vantagens da bicicleta na cidade e o sucesso do projecto BUGA.

Ainda assim tem apetite para pedalar mais do que pedala, conta-nos. Anda de bicicleta com frequência ao fim-de-semana, em Ílhavo, onde mora. E não tem dúvidas que o prazer de andar de bicicleta é uma coisa que se entranha em quem experimenta.

Tem uma ideia original para plantar esta semente nos automobilistas, maturada ao longo dos muitos dias a pensar no assunto.

“Nas aulas de condução os condutores deviam, pelo menos uma vez, andar de bicicleta, para terem a noção do que se trata”.

Nunca cai no fundamentalismo de querer eliminar o carro e acha que cada um serve propósitos e deslocações diferentes. Sempre com a certeza da segurança.

“Devem criar-se mais infra-estruturas que permitam a partilha do mesmo espaço pelo carro e pela bicicleta. (…) “Chega-se a qualquer lado mais rapidamente. E ainda dá a sensação que estamos a fazer o nosso exercício físico”.

Claro que já experimentou a BUGA e não tem dúvidas do impacto destas bicicletas na imagem externa de Aveiro. Mas conta que agora é tempo de pensar bem numa nova bicicleta aproveitando a experiência para melhorar alguns detalhes.

“Cada cidade deve gerir o sistema de bicicletas como melhor lhe convier. Todas as cidades são diferentes”.