A bicicleta-cavalo

Mais do que alguém com o antigo curso industrial ou com o curso de Técnico Oficial de Contas ou simplesmente com mão para as bicicletas, João Maio é um inventor. “Isto vem do meu pai, depois também estive na força aérea e tudo junto ajuda-nos a desenvolver mais ou menos as coisas”.

 

A bicicleta-cavalo, que “não é para qualquer um”, é a grande invenção saída da Reparadora de Santa Joana, tendo sido mesmo alvo de investigação nas Universidades de Aveiro e de Coimbra. “Isto é bom para um indivíduo que faça exercício. Para mim, o exercício físico é sagrado. Bicicletas a motor e isso… são uma doença. Para mim não dá”. O sr. João não teve de procurar muito pela inspiração. “Tinha e tenho problemas de coração. A médica de família, aqui há uns anos, disse para eu andar uns minutos a pé e tal. Andei uns dias. Depois chateie-me e fiz a bicicleta-cavalo. A primeira, há uns 10 anos, era um calhamaço”.

 

Para além das invenções, da oficina em Santa Joana também saem bicicletas com todo o tipo de adaptações. “Houve um moço com os seus 92 anos que veio cá a andar com duas muletas. Lá fiz uma bicicleta pequena, com pedais pequenos, para fazer pouco movimento com as pernas. Ele andou, andou, andou e adaptou-se. Passado dois meses veio cá com a bicicleta, Quero isto a andar mais para conseguir acompanhar as minhas netas”.

 

Tem uma bicicleta-cavalo que é o meio de transporte que utiliza nas suas deslocações, inclusive quando tem de ir “a Aveiro resolver algum problema”. E nunca andou numa BUGA, “mas às vezes passam na oficina com BUGAs para eu arranjar. Pessoal que vem passear e aparece aqui com furos e outras avarias”.